TUDO SOBRE O CÂNCER DE PULMÃO

Visualizações: 265

O câncer de pulmão se resume ao tumor com caracterização por quebra de mecanismos de defesa normais do pulmão, dos estímulos carcinogênicos pelos anos, ocasionando o crescimento sem organização das células malignas. Esta doença é tumor maligno que pode acometer desde a traquéia à periferia do pulmão.

 

Trata-se de uma das principais causas de morte entre neoplasias no país, sendo 18 mil casos novos no ano 2012. A principal causa de morte por câncer entre o público masculino e a segunda entre o público feminino. O subtipo do câncer de pulmão é caracterizado da análise de amostra da lesão verificada ao microscópio pelo profissional patologista.

Os principais subtipos da doença são adenocarcinoma, carcinoma epidermoide, carcinoma de pulmão indiferenciado de grandes células, e carcinoma de pulmão pequenas células. O câncer de pulmão pode se resumir do tipo metastático, portanto, surgir como uma metástase de outro câncer, sendo exemplo o de bexiga ou de mama.

1) Quais são as causas de câncer de pulmão?

cânce de pulmão

O tabagismo é a principal causa de câncer de pulmão. Diversas pesquisas ainda nos 50 já estabeleceram claramente a relação entre o fumar e câncer de pulmão. Vejam algumas delas:

  • A fumaça do cigarro contém mais de 4.000 substâncias químicas, muitas das quais foram identificados como causadores de câncer.
  • A pessoa que fuma mais de um maço de cigarros por dia, tem de 20 a 25 vezes mais risco de desenvolver câncer de pulmão do que alguém que nunca fumou.
  • Depois que uma pessoa para de fumar, seu risco de adquirir câncer de pulmão diminui gradualmente. Cerca de 15 anos após parar de fumar, o risco de câncer de pulmão diminui para o nível de alguém que nunca fumou.
  • Charuto e cachimbos também aumentam o risco de câncer de pulmão, mas não tanto quanto fumar cigarros.

Cerca de 90% dos casos câncer de pulmão surgem devido ao uso do tabaco. O risco de desenvolver câncer de pulmão é relacionada aos seguintes fatores:

  • O número de cigarros fumados
  • A idade em que uma pessoa começou a fumar
  • Quanto tempo uma pessoa fuma (ou fumou)

Veja outras causas de câncer de pulmão, inclusive causas de câncer de pulmão em não-fumantes:

  • A poluição do ar causas por carros, fábricas e outras fontes aumentam o risco de câncer de pulmão. Muitos especialistas acreditam que a exposição prolongada ao ar poluído é semelhante à exposição prolongada ao fumo passivo em termos de risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão.
  • O tabagismo passivo ou fumo passivo apresenta um outro risco para câncer de pulmão. Tabagismo passivo é a 3ª maior causa de morte evitável no mundo.
  • Doenças pulmonares, como a tuberculose, e doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), também representam riscos de câncer de pulmão. Uma pessoa com DPOC tem de quatro a seis vezes mais riscos de desenvolver câncer de pulmão.
  • Genética é um fator que influencia e deve ser observado com um médico. Pessoas com um histórico familiar de câncer de pulmão também têm probabilidade de desenvolver a doença.

E, por fim, uma pessoa que teve câncer de pulmão é mais propensa a desenvolver um segundo câncer de pulmão do que a pessoa uma pessoa que nunca teve.

2) Quais são os sintomas?

câncer de pulmão

A causa categorizada mais comum da doença se resume ao tabagismo por uma longa fase de tempo. Mais fatores de risco em destaque são inalação dos agentes químicos, sendo exemplo radônio, amianto, asbesto, arsênio.

Ainda fumo passivo, inalação da poeira e poluição do ar. Determinadas doenças também predispõem à malignidade, sendo exemplo, tuberculose, doença pulmonar obstrutiva crônica e, também, uma alimentação pobre de verduras e frutas. Existem ainda fatores genéticos associados, sendo exemplo a presença da história familiar da doença.

Os sintomas de começo da doença são de modo fácil, confundidos com doenças comuns e as de maior frequência, a falta de ar, chiado em pulmão, tosse, dor pelo peito, sangue em escarro.

A perda veloz do peso e da vontade de comer também pode acontecer para pacientes com a doença. Pode ocorrer ainda de o paciente não sentir inteiramente nada em fase inicial, o que representa perigo maior.

3) Como é feito o diagnóstico?

câncer de pulmão

Qualquer um dos aparecimentos de sintomas, em especial se notada exposição para fatores de risco, devem ter serventia como alerta pra a busca de orientação do médico. As alterações características de tosse, sendo exemplo maior frequência e produção do catarro, são fatores que indicam a buscar pelo médico.

De modo difícil, a doença tem diagnóstico na fase inicial, exatamente pela falta dos sintomas. Assim, o câncer de pulmão, no geral, tem diagnóstico no estágio avançado ou com alocação em mais lugares.

Em relação ao diagnóstico precoce, os exames de imagem periódicos podem ter auxílio para que a doença seja detectada na ocasião em que ainda pode haver possibilidade de tratar com foco curativo.

A radiografia simples de tórax pode ajudar em avaliação de começo. Qualquer suspeita sobre anormalidade em exame de raios-x ocasionará necessidade de realização da tomografia computadorizada de tórax.

Tal exame tem fácil acesso e que apresenta informações bastante detalhadas acerca dos pulmões, em especial em pacientes tabagistas. Se tais exames evidenciarem mudanças suspeitas de câncer, será preciso fazer uma biópsia, que quer dizer a remoção de pequeno fragmento da região suspeita para analisar, que poderá fazer confirmação da presença da doença.

4) Existe tratamento?

câncer de pulmão 4

Mesmo que a cirurgia seja determinada o tratamento de maior probabilidade de controle e cura, poucas pessoas são candidatas para ressecção inteira, em torno de 10% a 20% dos casos somente.

Entre estes, uma porcentagem diminuída tem benefício, de modo claro, em relação à cirurgia. A radioterapia com foco curativo, relacionada ou não com quimioterapia, tem apresentado reserva aos pacientes que não podem ter operação pelos assuntos técnicos, sendo exemplo localização do tumor, ou assuntos clínicos, como saúde do indivíduo.

Sobre o carcinoma indiferenciado de não pequenas células, este pode ter tratamento através da cirurgia, ao passo que carcinoma de pequenas células apresenta resposta superior para quimioterapia e radioterapia.

Em situações em que a enfermidade é metastática, a quimioterapia pode ser feita para aumento da média de sobrevida, com relação ao tratamento de suporte, o mesmo para qualidade de vida.

5) Convivência, prognóstico e expectativas

cancer de pulmao conviver

O tabagismo é relacionado com quantidade superior a 90% dos casos de câncer. Assim, parar com o cigarro deve ser o passo inicial para o indivíduo que sofre com câncer de pulmão. As doenças de complexidade, sendo exemplo câncer de pulmão, demandam o acompanhamento da equipe multidisciplinar, formada por médicos e os terapeutas ocupacionais, por exemplo.

Nas situações de câncer de pulmão de não pequenas células, mais da metade estão livres da enfermidade em 5 anos. Em relação à doença avançada, a sobrevida mediana se resume de 6 a 12 meses, do diagnóstico e uma sobrevida em 5 anos, sobre 10% a 15%.

O câncer de pulmão permanece sendo o causador por maior quantidade de mortes pelas neoplasias. Isto ocorre porque a maior parte dos pacientes tem admissão com doença avançada intratorácica ou doença metastática.

FonteÇ https://biosom.com.br/blog/saude/cancer-de-pulmao/

DOENÇAS DE ESTÔMAGO
upload/files/foto_medium.jpg

CONSELHOS E REMÉDIOS NATURAIS PARA TRATAR O REFLUXO GÁSTRICO

Ngày đăng:22/12/2017 / 243 người xem

No entanto, quando o esfíncter está fraco ou relaxa de forma inapropriada, os sucos gástricos do estômago podem voltar para o esôfago, provocando assim o refluxo gastroesofágico.
MULHERES PÓS-PARTO
upload/files/thinkstockphotos-100721344.jpg

BARRIGA DE GRÁVIDA: EM QUANTO TEMPO ELA VOLTA AO NORMAL APÓS O PARTO?

Ngày đăng:31/08/2017 / 250 người xem

Se você acabou de ter um bebê e já está preocupada em nunca mais caber naquela calça jeans dos tempos de solteira, muita calma nessa hora!

Dúvidas